Entenda o conceito de séries utilizado nos produtos para CFTV

Entenda o conceito de séries utilizado nos produtos para CFTV

A implantação de um Circuito Fechado de Televisão (CFTV) exige muita organização e planejamento. O projeto deve ser bem detalhado e embasado nas singularidades do local no qual será feita a instalação.

Para colocar um CFTV em operação são necessários diversos equipamentos. Escolhê-los é uma tarefa de grande responsabilidade, já que o bom funcionamento de um sistema como esse depende consideravelmente da qualidade dos dispositivos utilizados.

Para facilitar essa escolha e auxiliar o responsável pelo projeto na identificação dos formatos de aplicação para os quais são indicados, câmeras e gravadores de vídeo Intelbras são divididos em séries: 1000, 3000, 5000, 7000 e 9000.

Mas como identificar a qual série cada produto pertence?

Todo equipamento possui um part number, ou seja, a nomenclatura dada pelo fabricante ao dispositivo. Veja abaixo o exemplo de uma câmera Intelbras:

VHD 3130 B G3

A sigla que inicia o part number, nesse caso “VHD”, significa que o equipamento faz parte da linha Multi HD. Se fosse da linha IP, por exemplo, essa sigla seria “VIP”.

Em seguida, há uma sequência de números. O primeiro deles é o que irá indicar a qual série pertence determinada câmera ou gravador de vídeo. No exemplo acima, estamos falando de um produto da série 3000, pois o algarismo arábico inicial é o “3”. Assim irá ocorrer com todas as outras séries: “1”, “5”, “7” e “9”.

Até o primeiro semestre de 2016, essa catalogação era utilizada apenas nas linhas analógica convencional e HDCVI. A partir do segundo semestre do mesmo ano, os dispositivos com tecnologia IP passaram a ser identificados da mesma forma.

Existem ainda alguns produtos no portfólio IP que não possuem part number padronizado. Isso ocorre porque nem todos os modelos de câmeras e gravadores de vídeo com essa tecnologia tiveram suas nomenclaturas atualizadas. Entenda no exemplo abaixo:

VIP S3020

A sigla “VIP” mostra que a câmera faz parte da linha IP. Em seguida, há uma letra “S” antecedendo o número “3”, primeiro algarismo na sequência de números. Essa consoante era utilizada na antiga forma de identificação e ainda não foi retirada. Entretanto, nos próximos meses, todos os equipamentos para CFTV terão seu part number atualizado e padronizado.

Compreendida a questão da nomenclatura, vamos em frente, abordando as características de cada série, que orientam para quais tipos de projeto os equipamentos são indicados.

Série 1000 | Custo-benefício

Os produtos dessa série são voltados para projetos de monitoramento que não exigem a utilização de equipamentos com funções complexas, porém, prezam por uma boa resolução nas imagens e dispositivos de qualidade.

Residências e pequenos escritórios são ambientes para os quais gravadores de vídeo e câmeras da série 1000 são indicados. Seu ótimo custo-benefício torna bastante acessível a implantação de um CFTV nesses espaços, sem que o proprietário precise investir grandes valores.

Série 3000 | Robustez

São equipamentos mais robustos e que oferecem funções adicionais. Os gravadores de vídeo dessa série possuem diferenciais, como maior capacidade de HDs, entradas e saídas de alarmes, entre outros. Já as câmeras oferecem maiores resoluções e funcionalidades como IR inteligente, por exemplo.

Os produtos da série 3000 são perfeitos para médios e grandes projetos, como comércios e pequenas empresas.

Série 5000 | Performance

A série 5000 engloba dispositivos de alta performance e excelente desempenho, com funções profissionais, como WDR, HLC e análise inteligente de vídeo.

São indicados para a implantação de CFTV em projetos grandes e complexos, como condomínios, shoppings e espaços públicos. Ou seja, ambientes que necessitam de filmagem com alta resolução e monitoramento em tempo real.

Séries 7000 e 9000 | Projetos específicos e de alta complexidade 

Câmeras e gravadores de vídeos das séries 7000 e 9000 são desenvolvidos sob encomenda. São equipamentos destinados a projetos especiais e exclusivos, como o monitoramento interno de um frigorífico, por exemplo, situação na qual os dispositivos ficam expostos a temperaturas extremamente baixas.

São produtos altamente resistentes, com funções únicas e desenvolvidos para atender com exclusividade a demandas não convencionais.

Conclusão 

Agora que você já sabe qual é a função das séries utilizadas nos produtos para CFTV Intelbras. São dispositivos desenvolvidos para todos os formatos de projeto e demanda. Além de tudo, possuem a qualidade que só quem lidera o mercado de segurança eletrônica no Brasil pode oferecer

Intelbras